Sobre o conceito de terapeuta

As origens do conceito de terapeuta

Terapeuta é aquele que serve ao guerreiro.

Terapeuta vem do grego therapeuein, que significa cuidar, atender, aliviar gente. É considerada por vários estudiosos como uma das palavras mais antigas da Grécia.
Encontramos já em Homero a referência à palavra therapon ou theraponto, que significa, o escudeiro, aquele que serve ao guerreiro e herói, o que conduz o carro, aquele que protege.

Em Fílon de Alexandria, na sua obra Vida Contemplativa, encontramos as fontes mais
confiáveis sobre quem eram os terapeutas. Os primeiros terapeutas eram um grupo monástico e sem religião que viviam em clausura e se dedicavam à busca do seu sol interior, da sua essência divina. Eram tanto capazes de cuidar das suas próprias almas, como de produzir cura para as almas dos outros. A partir do conhecimento de si mesmos, tornaram-se conhecedores do Caminho, assim podendo conduzir o Outro.

À semelhança da escola Pitagórica, a escola Monástica admitia mulheres e assumia que elas tinham direito às mesmas igualdades e condições. Eram chamadas de Therapeutritis.

Na escola Neoplatónica de Teosofia os seus
discípulos eram chamados de Filaleteus, o que significa, amantes da verdade, profetas, intérpretes dos sonhos, capazes de curar corpo e alma.

O conceito de terapeuta acolhe, assim, uma cura integrada do somático e do psíquico desde tempos remotos até ao presente.

Célia Soares e Úrsula Dalcolmo